À Force de Vivre

Para viver

Tive de me libertar das amarras da minha própria mente

Para viver

Tive de obliterar os julgamentos de outros

Para viver

Tive de olhar em frente e abandonar os meus arrependimentos

Para viver

Tive de me afastar do buraco negro que me sugava qualquer traço de luminosidade

Para viver

Tive de sobreviver muitas vezes, simplesmente 

Para viver

Tive de me agarrar a factos tão simples e básicos como o de que ainda respiro

Para viver 

Tive de aprender a apreciar a minha existência 

Para viver

Tive de reconhecer que me estava a eclipsar por míseras migalhas de emoção 

Para viver

Tive de reconstruir a minha própria acção 

Para viver

Tive de evidenciar a minha essência 

Para viver

Deus, ainda tenho tanto que fazer!

Dá-me forças para não deixar de o querer fazer!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s